Translate this Page

Rating: 2.1/5 (337 votos)

ONLINE
3





Partilhe esta Página


3 - O que é Leitura Orante da Bíblia.
3 - O que é Leitura Orante da Bíblia.

 Entre as muitas formas de se aproximar da Sagrada Escritura, existe uma privilegiada à qual somos todos convidados: a lectio divina ou o exercício de leitura orante da Sagrada Escritura. (DGAE 2008/2010 - n63). Esta maneira de ler a bíblia é tão antiga como a própria Igreja.  É a leitura que os cristãos faziam da Bíblia para alimentar a fé e a esperança; para animar a caminhada no amor fraterno e solidário.

 

Inicialmente, não havia uma formulação sistemática do método, era a própria Tradição quese transmitia de geração em geração. No século XII, Guigo, um monge, intuiu e sistematizou o

https://img.comunidades.net/lei/leituraorante/500003_Livro_litura.jpg

processo de escuta e assimilação da palavra de Deus em quatro etapas ou degraus: Leitura, meditação, oração, contemplação.

 

A partir do século XIII houve um grande período emque a bíblia foi banida da vida da Igreja. Com isso, o método da leitura orante não foi mais transmitido e deixou de ser uma referência para a vida de fé no cotidiano das pessoas. Graças ao movimento bíblico antes do Concilio Vaticano II que culminou na Dei Verbum, e graças à reforma litúrgica com a introdução da língua falada pelo povo e dos lecionários, o exílio da Palavra foi interrompido. Sobre o Método da Leitura Orante a própria Dei Verbum o recomenda com grande insistência. Assim ela reapareceu no meio das comunidades por meio da leitura popular da Bíblia, começou a ser cultivada nas comunidades religiosas e foi retomada com mais intensidade pelos monges e monjas, reconhecidos historicamente como seus guardiões

Contudo, em geral, o uso da Palavra na liturgia e mais especificamente nas homilias, bem como na meditação pessoal de tantas pessoas que buscam aprofundar seu caminho de fé, não deixa de causar certa preocupação. A avalanche de roteiros homiléticos, nem sempr

 

e resultante de uma leitura assídua e pessoal, muitas vezes, forçando a atualização imediata, favorece certa passividade diante dos textos propostos, dispensando ministros/as e assembléia de um esforço pessoal necessário para chegar a uma compreensão mais profunda da palavra de Deus. Se o anúncio do(a) leitor(a) ou pregador(a) não passou pelo crivo da meditação pessoal em sua seqüência de leitura, meditação e oração, dificilmente a assembléia será tocada pela Palavra, que é viva e eficaz e não volta sem produzir o seu fruto.

 

Alegramo-nos hoje com as perspectivas que se abriram a partir do documento de Aparecida (2007); das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora do Igreja do Brasil (2008-2010); e do sínodo sobre a Palavra de Deus na vida e missão da Igreja (2008) que nos chamam a atenção para a necessidade de uma leitura continua e assídua da Bíblia apontando a Lectio Divina como método mais eficaz para ler e compreender a Sagrada Escritura. Neste sentido relembramos a seguir os passos do método. Antes de tudo, é importante ir para a leitura tendo o texto escolhido. Não é aconselhado abrir a bíblia aleatoriamente nem passar de um texto a outro, mas de fixar-se em determinado trecho. O lecionário cotidiano oferece um guia precioso neste sentido. Muito recomendada também é a leitura continua de um livro da Escritura, de preferência seguindo o ano litúrgico, por exemplo, o livro de Isaías no advento, ou o evangelho de Marcos no tempo comum do ano B e assim por diante.

 

Esse método possui quatro degraus: Leitura, Meditação, Oração e Contemplação.

 

Nem sempre é fácil distinguir um do outro. Por exemplo, o que alguns autores afirmam da leitura, outros o atribuem à meditação, e assim por diante. A causa desta falta de clareza está na própria natureza da Lectio Divina. Trata-se de um processo dinâmico de leitura, em que as várias etapas nascem uma da outra. É como a passagem da noite para o dia. Na hora do amanhecer, alguns dizem: "Ê noite ainda!" Outros dizem: "O dia já chegou!" Além disso, trata-se de quatro atitudes permanentes. 

 

A atitude da leitura, por exemplo, continua também durante a meditação. As quatro atitudes existem e atuam juntas, durante todo o processo da Lectio Divina, embora em intensidade diferente conforme o degrau em que a pessoa ou a comunidade se encontra. O importante, nesta nossa reflexão, é que apareçam as características principais de cada uma dessas quatro atitudes que, juntas, integram a Lectio Divina. 

 

Navegue nas páginas seguintes, saiba a origem e prátique esse método. 

 

1- Origem da Lectio Divina: http://www.leituraorante.com.br/origem-do-metodo-da-lectio-divina

 

2- Leitura: http://www.leituraorante.com.br/1-passo-leitura

 

3 -Meditação: http://www.leituraorante.com.br/2-passo-meditacao

 

4- Oração: http://www.leituraorante.com.br/3-passo-oracao

 

5- Contemplação: http://www.leituraorante.com.br/4-passo-contemplacao

 

6-  MATEUS 9,36-10,1-8  http://www.leituraorante.com.br/1-leitura-orante-de-mateus-936-101-8

 

7- Mt 14,22-23: http://www.leituraorante.com.br/2-mt-1422-23-a-oracao-na-vida-de-jesus

 

8-  1Rs 17,1-24: http://www.leituraorante.com.br/leitura-orante-1rs-171-24

 

9-Mt 19,16-22: http://www.leituraorante.com.br/leitura-orante-o-jovem-rico-mt-1916-22

 

10- 1Cor 12.12-31: http://www.leituraorante.com.br/unidade-na-diversidade-1cor-1212-31

 

11- Salmo 23:http://www.leituraorante.com.br/leitura-orante-do-salmo-23-o-senhor-e-o-meu-pasto